Horário de atendimento

Segunda a Sexta 8:00 a 12:00 13:30 a 19:00

CLINICA SPORTMED

Tratamento de dores

Veja quais são as principais queixas dos pacientes

Cervicalgia
A cervicalgia em geral está relacionada com movimentos bruscos do pescoço, longa permanência em posição forçada, esforço ou trauma e até mesmo alterações da ATM (articulação têmporo-mandibular). O paciente com cervicalgia geralmente relata uma melhora quando está em repouso e exacerbação da dor com o movimento. As cervicalgias podem ser decorrentes, de desordem mecânica, fatores posturais e ergonômicos ou ao excesso de sobrecarga dos membros superiores. A dor cervical resulta em perda na produtividade importante em certas ocupações e a maior predisposição de lesão associa-se a certos tipos de atividades e à idade. A Osteopatia tem excelentes resultados em sintomas na coluna cervical.
Disfunção Temporo Mandibular – DTM
A Disfunção da ATM é o funcionamento anormal da articulação temporo-mandibular, ligamentos, músculos da mastigação, ossos maxilar-mandíbula, dentes e estruturas de suporte dentário. Quando existe a disfunção, o paciente apresenta sintomas, como dor de cabeça, dor de ouvido e/ou zumbidos, dor ou cansaço dos músculos da mastigação, ruídos articulares (estalos ou crepitação) e dificuldade para abrir a boca. A disfunção da ATM está relacionada a hábitos comuns, como o apertamento dentário e o bruxismo, morder objetos estranhos, roer unhas, mastigar chicletes ou ainda apresentar fatores relacionados com o estresse, depressão e ansiedade ou eventos traumáticos. Estes pacientes apresentam um quadro clínico muitas vezes obscuro, devido a complexidade dessa região e geralmente há um comprometimento emocional, como fatores constante de estresse e tensão emocional. A oclusão dentária representa papel importante como fator predisponente que altera o sistema mastigatório, incrementando os riscos para desenvolver disfunção de ATM. Os hábitos parafuncionais e má-oclusão dentária induziriam micro-traumas na ATM, desenvolvendo-se assim lesões degenerativas no côndilo e no disco articular. Por isso se diz que uma equipe multidisciplinar seria o mais indicado para o tratamento desse paciente, entre eles dentista, médico, fisioterapeuta, psicólogo, fonoaudiólogo. A abordagem do OSTEOPATA nas disfunções têmporo-mandibulares é de grande importância. O objetivo nesse paciente é de reequilibrar biomecanicamente as tensões nos músculos, articulações, ligamentos, disco e dessa forma ajudando na melhora dos movimentos da mandíbula e na diminuição dos sintomas de dores ou desconforto desse paciente.
Dores de Cabeça
As dores de cabeça, ou clinicamente conhecidas como enxaqueca, cefaléias ou migrâneas, também são excelentes indicações para o tratamento com OSTEOPATIA. Frequentemente escuto as pessoas se queixando de dores de cabeça e resolvi escrever sobre esse tema para tentar esclarecer um pouco mais a abordagem da Osteopatia no tratamento das dores de cabeça. Existem inúmeras causas para as dores de cabeça, as mais comuns são as dores de cabeça por tensão muscular da musculatura do pescoço, onde a causa da dor vem da coluna cervical, dores de cabeça relacionada a A.T.M (articulação temporo-mandibular) causada por tensão na musculatura da mordida ou alterações articulares no encaixe da mandíbula, dor de cabeça vascular, causada por alteração na vascularização da cabeça, dores de cabeça provocadas por tensão na suturas do crânio,dor de cabeça de origem visceral. A abordagem do Osteopata nesse tipo de sintomas começa com uma avaliação minuciosa para descobrir os fatores que estão causando os sintomas e se avalia as regiões que estão tensas, rígidas, em desequilíbrio e através de técnicas suaves, precisas e direcionadas, reorganiza e equilibra a mecânica não somente da coluna cervical, coluna torácica, cintura escapular, região da ATM, mas de todo o corpo, estimulando um bom funcionamento fisiológico. Na abordagem osteopática para esses sintomas de dores de cabeça, o osteopata aplica técnicas para melhorar a mobilidade articular da coluna cervical, para diminuir tensões musculares, técnicas para melhorar a vascularização do crânio, diminuir as tensões nas suturas do crânio, diminuir as tensões na articulação temporo-mandibular (A.T.M.), organizar as tensões de causas viscerais, ou seja, reorganizar a biomecânica do corpo. A osteopatia tem excelentes resultados em seu tratamento, em muitos casos,questão de 2 a 3 sessões o paciente já sente uma grande melhora. O tratamento é realizado em sessões de 50 minutos, semanalmente ou quinzenalmente e pode ser aplicado em todas as idades tanto crianças, jovens, adultos e idosos. O tratamento com osteopatia é uma abordagem com ótimos resultados e irá contribuir muito para o tratamento de suas dores de cabeça.
Dores na Coluna
A popularmente chamada dor na coluna pode vir de músculos, nervos, ossos, articulações ou outras estruturas na coluna vertebral. A dor pode ser constante ou intermitente, restrita a um local ou irradiar para outras áreas. A dor pode ser sentida no pescoço (podendo irradiar para os braços), coluna superior, ou na região lombar (podendo irradiar para as pernas). O osteopata ira realizar uma avaliação de todo o corpo do paciente, desde do tipo de pisada do pé, a mobilidade de todas as regiões da coluna vertebral, até a classe de oclusão que a pessoa tem, tudo isso para se tirar um diagnóstico osteopático preciso, para saber de onde se originam os sintomas. O tratamento é realizado em sessões de 50 minutos, podendo ser semanalmente ou com intervalos maiores. Se você tem algum tipo de dor na coluna agende já sua consulta!
Dores no Nervo Ciático
A dor ciática (ciatalgia) pode ser considerada mais um sintoma do que propriamente uma doença em si. Ela é provocada pela compressão, inflamação ou irritação de uma ou mais raízes nervosas que nascem na medula espinhal e vão formar o nervo ciático (ou isquiático), que começa na quarta e quinta vértebra da coluna lombar. Estende-se pela face posterior do quadril, desce por trás da coxa e do joelho de cada perna até alcançar o dedo maior do pé (hálux). Ele é responsável em grande parte pela inervação sensitiva, motora e das articulações dos membros inferiores. O dano ao ciático pode ocorrer dentro do canal espinhal, no forame intervertebral (espaço entre as vértebras por onde passa a medula espinhal) ou em algum outro ponto de seu percurso, uma vez que atravessa vários músculos, fascias (membranas de tecido fibroso que protegem os órgãos) e tendões. A dor no ciático acomete indistintamente homens e mulheres e sua frequência aumenta com o envelhecimento, visto que com o passar dos anos as estruturas da coluna vertebral acabam sofrendo um desgaste que pode comprometer tanto a medula espinhal, quanto as raízes que dão origem as nervos.
Dores no Ombro
Depois da dor na coluna, dores no ombro talvez sejam a queixa mais frequente. Elas não respeitam sexo nem idade. Ocorrem em crianças, adultos e idosos, homens e mulheres, esportistas ou sedentários. São especialmente desagradáveis, porque limitam movimentos simples, como erguer e abaixar os braços, e têm o mau hábito de piorar durante a noite, depois que a pessoa se deita. Em grande parte dos casos, dores no ombro são sintomas de lesões provocadas pela repetição de movimentos que machucam os tendões e por processos crônico-degenerativos que ocorrem depois dos 40, 50 anos de idade. O tratamento com OSTEOPATIA para dores nos ombros tem uma abordagem bem diferenciada do que qualquer outro tratamento conservador. O tratamento osteopático no tratamento do ombro atua desde disfunções cervicais, dorsais, regiões escapulares, claviculares, ombro, cotovelo, punho e as articulações sacro-ilíacas (devido as ligações musculares existentes). Disfunções viscerais principalmente em fígado e estômago, são muito importante para um diagnóstico diferencial para excluir uma possível dor referida dessas vísceras na região dos ombros. A OSTEOPATIA é uma abordagem muito importante que vai ajudar no tratamento do ombro. O kinesiotaping (bandagem elástica funcional) pode ser utilizado como complemento dodor no ombro tratamento osteopático para dores no ombro.
Hérnia de Disco
A coluna vertebral é composta por vértebras, em cujo interior existe um canal por onde passa a medula espinhal ou nervosa. Entre as vértebras cervicais, torácicas e lombares, estão os discos intervertebrais, estruturas em forma de anel, constituídas por tecido cartilaginoso e elástico cuja função é evitar o atrito entre uma vértebra e outra e amortecer o impacto. Os discos intervertebrais desgastam-se com o tempo e o uso repetitivo, o que facilita a formação de hérnias de disco, ou seja, parte deles sai da posição normal e comprime as raízes nervosas que emergem da coluna. O problema é mais frequente nas regiões lombar e cervical, por serem áreas mais expostas ao movimento e que suportam mais carga. Carregar ou levantar muito peso também pode comprometer a integridade do sistema muscular que dá sustentação à coluna vertebral e favorecer o aparecimento de hérnias discais. O tratamento osteopático nas hérnias discais tem como objetivo diminuir as pressões e tensões que chegam até os locais herniados, através de técnicas manuais, dessa forma diminuindo os sintomas do paciente. O tratamento com a Osteopatia nas hérnias discais é muito indicado e possui bons resultados.
Lombalgia
A lombalgia acomete a coluna na região lombar, ou seja, na região mais baixa da coluna perto da bacia A dor na coluna lombar, é um dos sintomas de maior procura em meu consultório. Por ter diversos fatores que podem gerar esses sintomas, uma excelente avaliação é de extrema importância. Avaliar desde a postura da coluna, a mobilidade de toda a coluna vertebral, principalmente articulações sacro-ilíacas, lombares, dorsal e costelas, os músculos posteriores da coluna e os anteriores na região abdominal, cicatrizes no corpo, tipo de pisada, se há uma perna curta, alterações viscerais, histórico de traumas e outros… Tudo isso para se tirar um diagnóstico osteopático preciso do que está causando os sintomas nesse paciente! O tratamento com osteopatia em dores lombares possui ótimos resultados.
Tensão Muscular
As tensões musculares são cada vez mais comum no dia-a-dia das pessoas. Relacionado diretamente com a postura de trabalho, falta de exercícios físicos ou momentos de estresse emocional. Tensões musculares não tratadas corretamente, podem no futuro virar um problema maior e mais sério. Geralmente os pacientes relatam os sintomas de tensões musculares na região dos músculos trapézios (parte do ombro e pescoço), dizem que a dor inicia nessa região e depois acabam se irradiando para coluna, braços até mãos. Sendo motivo de faltas ou queda de produtividade no trabalho. Outros tipos de tensões musculares podem afetar toda a coluna vertebral, região escapular ou até mesmo a região dos temporais. A OSTEOPATIA tem uma abordagem bem diferenciada para pessoas que relatam tensões musculares com excelentes resultados.

Localização